quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

and a happy new year ...


Eeee, mais um ano... Você acredita que 2010 já está acabando?

Eu e o Herbert nos últimos tempos andamos até meio chatinhos sempre lembrando das coisas que já fizemos e de tudo que já passamos. Não só neste  1 ano e meio de casados, mas no tempo de namoro e tudo mais. Dizendo isso aqui, posso afirmar com toda a certeza:  o tempo nos faz sempre lembrar que o passado não volta mais, e que quando vivemos o presente normalmente achávamos que o passado era mais divertido e que levávamos as coisas mais na maciota e assim vai e é sempre a mesma coisa.

Bom, mas voltando as realizações e conquistas do novo ano que passou, óbvio que fomos ver a lista antiga, algumas coisas foram realizadas, outras não, e óbvio, passarão pra listinha de 2011.

Vamos lá::

Planos realizados
- Consegui ler a Bíblia! (isso foi uma alegria muito grande pra mim!)
- Compramos nosso carro
- Viajei muito em 2010
- Li livros, mas nunca é o suficiente.

Planos para 2011
- Emagrecer, porque em 2010 só engordei
- Fazer academia (óbvio faz parte com este primeiro item)
- Ir ao Beto Carrero
- Viajar mais
-E sempre muitas outras coisas.

Planos abortados e alterados
- Desisti do Inglês
- Comecei outra faculdade = Web Design (que eu já tranquei!)

Uma coisa é certa, plano é plano, é mais fácil quando temos ele, porque assim podemos seguir o novo ano com metas, e realização de sonhos. Mesmo que eles não sejam realizados. 

Em 2010 eu aprendi que não adianta nada fazer planos se a saúde não vai bem, e é por isso que em 2011 cuidarei muito melhor dela. Aprendi também que nunca é tarde pra voltar a estudar, ao exemplo do meu PAIdrasto que em 2011 iniciará uma faculdade! Descobri que o design faz parte de tudo, e em tudo é possível ver Gestalt, Teoria da cor e blá blá blá. Descobri que o amor se destrói e se constrói a cada dia e é por isso que ele nunca acaba, a renovação e o perdão devem fazer parte de nossas vidas. Aprendi que não adianta nada ser rotulado de cristão se você não se alimenta espiritualmente, afinal se isso não acontecer você pode ser cristão, mas vazio. E se você for vazio, não adianta ser cristão! Descobri crianças aprendem muito rápido porque observam pequenos detalhes nas descobertas com os mais velhos, assim também deveríamos ser nós sempre de ouvidos abertos para os mais velhos que nos contam suas experiências.

Aprendi muito, e descobri muito em 2010 e pretendo continuar assim em 2011. Cheia do Espírito Santo, guiada por Jesus e com o afeto da minha família e do meu marido respiro fundo e posso dizer: E que venha 2011!

Um lindo ano novo para vocês meus amigos!




terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Natal???


Pois é, o tempo passou sim! Mas o que levou as pessoas a este ano não decorarem a casa pro Natal? Bom aqui em casa tá decoradinho, na minha mãe e na minha sogra também. Mas...

Eu e o Herbert saímos de uma apresentação de Natal no sábado e resolvemos passear pela região do Alto da XV procurar lindas decorações de Natal. Eu já estava imaginando as casas todas iluminadas cheias de coisinhas penduradas, presépios, papai noéisinhos e tudo mais.

Demos volta em uma quadra: NADA. Fomos em outra: NADA. Estávamos até preparados para dar notas para as decorações (bem como fazíamos quando criança) mas NADA. Saímos frustrados...

Enfim, me veio a lembrança de uma casa no boqueirão na rua em que morei há alguns anos atrás. Lá encontramos uma casa simplesmente maravilhosa, toda iluminada, toda decorada. Como a celebração do Natal merece. Como a comemoração do nascimento de Jesus merece.

Andamos realmente correndo com o serviço, correndo pra comprar os itens da ceia, correndo pra comprar os presentes que não conseguimos parar umas horinhas pra montar a decoração de Natal. Que é o que alegra os nossos corações pelo menos o meu se alegra.

Tá aí nossa árvorezona!

Um lindo Natal a todos! Nunca deixem de comemorar o nascimento de Jesus, como Ele merece!

sábado, 20 de novembro de 2010

Aprendendo a ser auxiliadora


Conversando tanto sobre carros e tudo mais ultimamente. Eu e o Herbert lembramos de mais uma de nossas histórias, mas da época de namoro.

Quando o Herbert comprou a moto, pagamos um super mico. SUUUPER!

Ele foi abastecer a primeira vez e queria encher o tanque. Lá fomos nós ao posto de gasolina.

Chegando lá eu me dei conta de perguntar, mas Herbert quanto você tem? Falando do dinheiro mesmo, porque eu pensei, vai que ele enche o tanque e a gente não tem dinheiro pra pagar depois. No posto de gasolina não tem como lavar pratos huahua.

Ele disse: "Tenho R$ 80". Eu, tentando ser a auxiliadora sem muita experiência: "Mas será que não vai faltar dinheiro, é melhor vc falar pro frentista, coloca R$ 80."

Dito e feito o frentista chegou e o Herbert falou: "Coloca R$ 80". Mas foi na hora, sem vergonha de ser feliz que o frentista gritou para um outro que estava abastecendo um carro: "Ó, o rapaz aqui quer que eu coloque R$ 80 de gasolina na moto dele!!!"

Nós dois em cima da moto rindo que se acabava, a gente não tinha nenhuma ideia de quanto de gasolina ia no tanque da moto. Aí o Herbert disse, então você completa pra mim, ele completou e deu R$ 30.

Óbvio que já estávamos envergonhados... e rindo de chorar.

Ainda quando nos despedimos do frentista ele disse: "Se quiser me dar os R$ 50 que sobrou eu aceito!"

Ai ai... Só a gente mesmo!

sábado, 13 de novembro de 2010

E o tempo?


Olha, só o que posso dizer é que o tempo passou.

Incrível né? Parece que foi ontem que eu o Herbert estávamos correndo atrás do nosso primeiro pinheirinho de Natal. Não, nós não fomos no meio do mata, achar o pinheiro perfeito, fomos apenas na Casa China, achar um pinheiro grande mas totalmente artificial.

Enfim, hoje estou nostálgica, olhando fotos antiguíssimas da vida que vai se passando. Ano após ano, planos atrás de planos, sonhos depois de sonhos.

Assistindo a novela ontem, ouvi uma frase legal, e que fez sentido. Quem sabe não faz pra você. A diferença entre a pessoa jovem e a pessoa mais velha é que o mais velho sabe, com toda a certeza do mundo, que tudo é passageiro, nada é definitivo os velhos conseguem ver além.

Esta frase traduziu o que eu tenho sentido e visto nos últimos tempos. Eu fiz  cirurgia, aquele momento parecia eterno, parecia que não haveria o dia em que eu poderia voltar com todas as minhas atividades normais. Mas enfim... o tempo passou e agora tudo voltou como era antes. Passou...

Assim como a tristeza de ver o meu irmão ter o seu carro roubado e ver a esperança de reencontrá-lo diminuindo... Também passou, a tristeza, porque a esperança? Esta eu nunca vou deixar passar.

A vida vai passando, os momentos ruins e bons, vão indo junto com ela. Mas como diz na palavra de Deus. O amor dEle este, sempre permanecerá!

Um lindo feriado a todos.

"Uma pequena observação, procurarei postar mais vezes... Ando com a vida corrida, por isso que ela vai passando tão depressa."

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Rostinho doce



Sim, eu tenho um rostinho doce!

Para quem não sabe eu tenho um problema sério de direção, só sei a diferença entre direita e esquerda. No mais... Todos riem quando perguntam para onde fica o ponto de ônibus e eu mostro sempre a direção do portão de saída e não o local específico. Enfim, não sou a pessoa mais localizada do mundo. Mas pode apostar, que com certeza se tiver eu e mais um zilhão de pessoas na rua e alguém tiver uma dúvida de onde fica alguma rua, virão perguntar para mim. E óbvio eu sempre tenho que responder que não sei onde é.

O cúmulo do meu rostinho doce foi eu no mercado escolhendo frutas e uma moça olha pra mim e pergunta sabe me ajudar a escolher uma mamão? Gente eu sou a pior pessoa pra escolher fruta. Até banana podre eu já comprei. Sorte que minha mãe estava por perto e ela pôde ajudar aquela pobre moça, que não sabe pra quem estava pedindo ajuda.

Mas não é só isso não, eu pego ônibus e muitas vezes as pessoas que sentam ao meu lado começam uma conversa sobre o tempo, sobre o ônibus lotado, sobre o livro que estou lendo. Estes tempos estava indo pra faculdade em pé e lendo um livro do Max Lucado super concentrada, uma mulher disse que era pra eu sentar e me deu o lugar, pra que eu pudesse ler o livro. Porque ela sabia que o Max Lucado escrevia muito bem, que ela já havia lido algum livro dele e tudo mais... E não parava de falar. Enfim, ela me deu o lugar e nem consegui ler, de tantas coisas que ela tinha para contar.

Bom, eu sempre pergunto para os outros: por que os "desconhecidos" sempre falam comigo? E todos respondem, é por causa deste rostinho doce!

Ai ai...

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Minhas crianças


São minhas porque as adotei de coração! Amo-as como se fossem minhas e procuro planejar e organizar tudo, como se fosse para mim!!!

No domingo retrasado, eu resolvi presentear as crianças com um dia especial. Isto porque acabamos com um livro da Escola Dominical e resolvemos fazer uma gincana pra ver se eles lembravam de tudo o que havíamos estudado. As duas equipes empataram, e assim resolvi então fazer um almoço especial.

Almoço regado a batata frita, strogonoff, arroz, saladinha, lasanha, sorvete de sobremesa, e de bebida fanta-laranja e fanta-uva. Todo o cardápio feito por votação com as comidas que eles mais gostavam.

Nos divertimos muito entre as brincadeiras de mãe parede, mãe base, mãe não sei mais o que, e um caça ao tesouro. Todos nós sobrevivemos. Chegamos a segunda-feira exaustos. Mais felizes por ouvir da boquinha de alguns que poderia ser assim todos os domingos!

Só pra não deixar de comentar um fato "a la May", nunca fui  muito competitiva e nunca tive muita habilidade com nenhum jogo e nem bola! Enquanto já esperávamos os pais virem buscá-los resolvemos brincar de mãe linha. Obviamente fui pega por uma das crianças e fui nomeada a MÃE, na minha função matriarcal tinha que correr doidamente atrás das crianças para que elas fossem mãe no meu lugar. Pasmem! Não consegui, com minha vida sedentária e minha falta de gingado, elas deram de 10 a 0 em mim se esquivando enquanto eu corria atrás delas. Até o momento em que apareceu meu príncipe de cavalo branco que deu o seu ombro para que eu pudesse nomeá-lo MÃE. Eeeee Herbert mais uma vez me salvando de pagar um micão!

Sobrevivi  e me diverti!!!!

Este post pra homenagear o dia da EBD que foi neste domingo!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Meu tempo


É possível que como eu, muitas mulheres tenham abraçado a vida de esposa com unhas e dentes. Afinal de contas o sonho realizado faz com que nos dediquemos cada dia mais para o casamento ser sempre maravilhoso.

Os pensamentos do dia são em manter a casa em ordem para quando o marido chegar, em qual comida ele prefere para a próxima refeição, as roupas dele limpas, passadas e guardadas e sempre disposta pra dar e receber amor e carinho.

Mas, muitas vezes erroneamente, esquecemos em pensar em nossas comidas preferidas, em o que nós como mulheres queremos fazer, onde queremos ir...

Nós precisamos de um tempo pra nós!!! Algumas se encontram no salão de beleza, com cabelo e unha feita se sentem lindas e renovadas, outras preferem um almoço de domingo feito pelo maridão e a louça por conta dele (é claro!). Mas eu, May, prefiro viajar... sair da rotina, esquecer dos compromissos.

Semana passada fiz isso, meu marido estava ocupado com algumas programações da igreja e trabalhos da faculdade. Eu estava com tudo em dia, porque tenho tempo de sobra para me organizar. Então me convidei a embarcar em uma viagem curtinha mas relaxante pra Baln. Camboriú sem ele, mas, com minha família.

Foi uma delícia novamente poder conversar com eles até acabar todas as novidades, sem esquecer nenhum detalhe. Foi uma delícia saber que agora, teria alguém me esperando quando eu voltasse para MINHA casa.

Mais delícia ainda foi o reencontro com meu marido e matar a "saudadesinha" que já estava apertando.

Estou renovada e pronta para outra!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Um docinho



Ontem resolvi passar um dia curujando minha mãe. Por vários motivos, o que posso dizer é que ela sempre merecerá todo mimo possível que eu possa fazer por ela.

E foi um destes mimos que saiu pela culatra. Chegando ao terminal próximo da casa dela, resolvi descer em uma feirinha que tem ali, todas as manhãs de quinta-feira, comprar aqueles biscoitinhos açucarados e deliciosos, e também rosquinhas de polvilho, que eu sou apaixonada.

Comprando os quitutinhos para minha casa, pensei no porquê não comprar algo pra minha mamãe. Olhei umas balinhas de coco, e de coração aberto, achei que seria um delicioso mimo pra ela.

Entrando no carro dela, disse toda animada, do tipo vou fazer alguém feliz hoje:

-Mãe, comprei umas balinhas pra você!!! Aquelas de coco.

Ela mais que depressa soltou a declaração bombástica:

-Não gosto destas balinhas!!!

Eu tentando argumentar a minha bola fora disse que tinha visto estes tempos umas balinhas destas na casa dela, no baleiro. E ela disse que eu vi elas lá porquê ela havia comprado e como ela não gostava das balinhas, elas ficaram rolando por muito tempo.  E ainda disse:

- Só como estas balas por necessidade! (por causa da hipoglicemia)

Hahaha, o que será que o casamento fez comigo? Nem lembro mais os gostos da minha mãe?!?

Resumo das balas, o Her e os meninos do serviço dele se incumbiram de comê-las.

Te amo mãe!


quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Ciumenta?!?!


Sabe crise de ciúmes???


Eu e o Herbert estávamos lembrando de uma cena hilária que aconteceu com a gente logo que casamos.


No início do casamento todos os sábados eu ia à casa da minha mãe, enquanto o Herbert ia trabalhar. Saíamos de casa, pegávamos o ônibus e descíamos no terminal pra fazer conexão. Em um destes sábados, em uma destas conexões... Eu tive a minha crise.


Quando descemos do ônibus estava aquele furdunço cheio de gente empurra daqui, empurra de lá... Aí o Herbert saiu na minha frente e nos distanciamos, com uma mulher de distância. E ele disse:

- May, vamos rápido que o ônibus já está ali!

E eu vi aquela mulher que estava logo atrás dele dizendo:

- Tô indo, vamos, vamos!

E eu totalmente invocada falei:

-Hei, ele está falando comigo! E não com você!!!

A moça me olhou com aquela cara de "hum?!?"

Nessa altura eu e o Her já estávamos correndo para pegar o ônibus, quando eu ouvi um:

- Hei moça, moça, moça!

Olhei para trás, e uma outra mulher disse:

-Ei ela estava falando comigo, não com ele!

O que eu poderia fazer? Pedi desculpe e sai rindo que nem uma doida, e o Herbert ainda não estava entendendo nada, porque queria mesmo era pegar o ônibus. Quando contei pra ele minha atitude, só podíamos rir e rimos desta situação até hoje.

Até agora não sei o porquê de eu ter agido daquela maneira, mesmo que para quem me conhece sabe que não é muito meu perfil, do tipo TIRANDO SATISFAÇÃO.

Mas naquele dia, ah, naquele dia eu quis tirar a satisfação, e passei foi vergonha....

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Chove chuva


É incrível!!! Na nossa última e única semana de férias eu e meu amado resolvemos ir até o mercado depois do serviço dele.


Como uma esposa vaidosa, pensei: - Tomo um banho e vou cheirosinha!!!

Depois da preparação para encontrá-lo... rumo ao mercado.

Chegando lá nós dois animadíssimos e ele com muita fome (a pior coisa que se pode acontecer quando se vai ao mercado), compramos de tudo para um lindo jantar romântico e muito mais coisas do que realmente era necessário. Isso significa: muitas sacolas para serem carregadas "na unha". Afinal estávamos de ônibus.

Enfim, tiramos o pé para fora do mercado e vimos que o chão estava molhado, mas... aparentemente não iria mais chover. Demos 5 passos e PINGOS. O Herbert com mil sacolas em punho e eu com as outras mil perguntou: - Quer que eu pegue o guarda-chuva? E eu, como não sou de manteiga disse: - Não precisa, daqui ao terminal é 2 minutos!

Demos mais 2 passos e ... TCHÁBUUmMmMMM. Chuva que Deus mandava! Muita chuva! Pra atravessar a rua pra ir pro terminar eu não enxergava nada por causa dos óculos ensopados (ainda não inventaram pára-brisa de óculos).


Pisamos dentro do terminal, e a chuva parou. Parecia até que não tinha chovido, porque o calor evaparou todas as pocinhas de água.


Andamos o terminal até o nosso ponto constrangidos e rindo porque afinal, além das sacolas que carregávamos o peso da roupa ensopada não nos permitia chegar muito perto dos outros passageiros e nem eles queriam chegar muito perto de nós. E todos nos olhando com aquela cara de: - Choveu?

Choveu, em uma única nuvem que estava sobre a minha cabeça e a do Herbert.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Visita = Cobaia


Não adianta negar, pra uma boa dona de casa quando alguém marca uma visita já sabe: Vai ser cobaia!

Porque nada mais gostoso do que cozinhar para muitas pessoas, assim elas podem elogiar seus quitutes. E aprovar a nova delícia.

Minha madrinha de casamento e minha damona de honra e grande amiga, e a Lili estiveram aqui em casa ontem. E claro desde que me avisaram da visita fiquei pensando mil vezes em o que servir para elas. Será que parto pro comodismo, vou na panificadora e compro algumas coisinhas gostosas? Ou será que eu mesma faço alguma coisa? Depois de um conflito interno que durou cerca de 10 minutos me lembrei de uma receita do meu amigo de todas as manhãs: Edu Guedes. A receita era o Hot Dog de forno, vulgo doguinho.

Enfim a massa é de pão e deve-se amassar e tem que amassar muito, ótimo para descarregar seus nervos, e deixa crescer e estica com o rolo de macarrão (que até ontem nunca tinha achado uma utilidade pra ele), monta os bichinhos e forno. Claro que como eu sempre me assusto quando acendo aquela luz mágica do meu forno para ver o que está acontecendo lá dentro, naquele lugar obscuro, desta vez não podia ser diferente. Eles estavam simplesmente enormes e lindos!

Mil vivas para mim porque desta vez eu acertei! E a sorte toda é que pão não é bolo, então ele não abatuma!

Minhas visitas e meu maridão amaram! E eu também amei! Hoje já não tem mais nenhum pra contar a história.

Quer saber como fazer? Aprenda com o Du. O Edu Guedes

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Meu herói


Existem algumas coisas que só o maridão pode fazer pela gente.

Na segunda eu resolvi fazer uma limpeza na cozinha, dentre os itens que passaram por um banho de limpeza estava o meu microondas. Benção de Deus, ganhado por um casal de padrinhos.

Enfim, feita a limpeza geral dele e do prato, que tirei para lavar na pia, montei ele de novo. Mas aconteceu algo estranho. O prato parecia não se equilibrar mais naquele meio que o faz girar. Passei toda a semana encucada com o que eu tinha estragado do meu microondas. Como eu poderia ter feito algo assim? Só limpando. Pensei, pensei... mas nada me vinha a cabeça, até que ... ontem a noite falei pro meu marido.

"-Amor, acho que estraguei o microondas, o prato tá todo desequilibrado."

E ele todo valentão do tipo, eu existo pra te salvar abriu o microondas e: "-Ué, cadê as rodinhas?" - "Ah, tá aqui em cima!"

E eu: "-Han?"

É isso mesmo, na hora de limpar o microondas eu tirei aquele anel com as rodinhas e sem prestar atenção eu coloquei em cima dele mesmo. E lavei o prato, coloquei ele dentro do microondas, mas sem as rodinhas, óbvio que ele não estava funcionando 100%. Mas que ótimo que sou casada com ele: Herbert, o meu herói.

Por isto e por outras coisas, meu herói...

terça-feira, 6 de julho de 2010

Sonhos...


É incrível perceber como as coisas acontecem em nossas vidas, de uma forma sobrenatural, sem que nós possamos imaginá-las, isto claro, quando deixamos Deus no controle.

Desde antes de casar, sempre sonhei em ficar em casa, não precisar mais trabalhar fora.  Quando falava para meus colegas de faculdade, e até mesmo irmãos da igreja sempre me criticaram. Afinal sou jornalista por formação e agora, estudante de web design. Então, isso nunca fez sentido ninguém.

Mas para uma pessoa isto sempre fez sentido! Meu Deus. Ele sabe que não é por preguiça, nem por ser folgada, mas sim por amor ao meu lar e as coisas que aprendi em tantos anos frequentando a União Feminina. Incluindo submissão, dedicação e a felicidade de fazer coisas por prazer.

Há um mês, mais ou menos, posso dizer que sou do lar. Mas também faço meus artesanatos e agora também jornalista da revista Feminine. No entanto, sem sair de casa. Não disse que era possível. Fazer coisas por prazer, sem ser por necessidade.

Deus por meio do meu marido tornou meu sonho possível, muito antes do que eu mesma poderia imaginar. Mas hoje é real.

Deixe sempre tudo nas mãos dEle, antes que perceba Ele tornará seus sonhos realidade!


quinta-feira, 24 de junho de 2010

O nosso dia 20/06




Sim, já comemoramos o nosso aniversário de 1 aninho. Somos bebês ainda!


E não, ainda não queremos nenhum pimpolho pela casa, vai demorar... Ao que tudo indica, vai demorar mais uns 4 anos. Não pense que não gostamos de criança, mas no momento estamos meio que aproveitando, e muito, nossa vida de casadinho de novo (como diz o Pastor).


A comemoração foi incrível. Conforme havíamos combinado com antecedência, o dia 12/06 é regado de presentes, o dia 20/06 vamos ao restaurante e curtimos o romantismo.


Enfim então, nós dois decidimos ir almoçar e não jantar. Uma porque era domingo, outra tinha o jogo do Brasil.


Então... de manhã bem cedinho ouço o interfone, bem de longe, porque o sono reinava sobre a minha pessoa. Dormi de novo e nem tchun, mas notei que o Herbert não estava ao meu lado. Ah! Quando levanto e tchã-nan! Cesta de café da manhã, nunca tinha ganhado uma destas, linda maravilhosa! Hoje só restaram algumas bolacinhas e a cesta, que é linda!


Depois de tomar um cefézinho delícia, fomos pra igreja, lá, como de costume o parabéns foi cantado e podemos receber bençãos e mil abraços dos irmãos. Afinal é um aninho né?


Ah! Com antecedência eu havia planejado com ajuda do google maps a localização de um restaurante perto do Largo da Ordem, pra que pudéssemos visitar a feirinha também. E acabando o culto nos dirigiámos ao centro, animados e super brasileiros!


Chegamos lá animadíssimos, que nem pinto no lixo! Pra ressaltar esqueci o mapa! E claro, como perdida que sou, troquei Trajano Reis, com Jaime Reis hehehe, erramos algumas quadras, mas, como graças a Deus existe celular, fizemos contatos com pessoas bem informadas e que estavam com o mapa em punho e voltamos a rota original. Encontramos o resturante.


Restaurante chiquetoso, cheio de taças e mil talheres hehehe Perfeito para um momento perfeito também! Olhamos o cardápio e devido aos valores, tivemos que perguntar pro garçom: " Este prato é pra dois?" "Não pra um só!" Ih! Que bom que no aniversário de casamento podemos gastar bastante né?


Comemos um delicioso almoço e mais deliciosa ainda era a sobremesa, que eu amo! Petit Gateau, de doce de leite. Este eu indico para vocês ainda mais se são fãs de frutas vermelhas como eu, porque o bolinho e o sorvete vem regado com um calda de frutas vermelhas simplesmente M A R A. Sai lá só a sobremesa R$ 20 por pessoa, mas vale! Restaurante Madero.


Depois de tudo saímos do restaurante e optamos por correr para a igreja assistir ao jogo. Correr mesmo! Mesmo que não adiantou muito, chegamos 10 minutos atrasados. hehehe


Mas claro, tudo acabou bem! Brasil ganhou, nós felizes, e um ano do nosso casamento já passou...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Bodas de Papel

Chegamos!

Após todos os 5 anos que namoramos, chegamos agora a comemoração mais significativa de tudo o que vivemos. Nossas Bodas de Papel. Será que nesta boda ganhamos um anel de papel? Assim como nas bodas de prata troca-se a antiga aliança por outra com um filetinho de prata? Ou será que como minha amiga disse:"Se dêem algo de papel, não vale cartinha!"

Presentes a parte, o maior presente que vivenciamos neste ano foi aprender a conviver um com o outro. Com as nossas diferenças, com as nossas falhas e dificuldades em determinadas áreas, com os dias de alegria contagiante ou de tristeza profunda.

Aprender a conviver em harmonia, este sim é o melhor presente. O presente que recebo todos os dias do Senhor, quando que em muitas vezes tenho que clamar à Ele para não falar demais e nem gritar com meu esposo. O presente que peço à Ele é que, o que tenha realmente valor no meu lar, sejam as coisas que tem valor para o coração dEle que nos criou e nos uniu.

É muito bom ser casada! Melhor ainda é ter passado por 1 ano deste relacionameto tão íntimo, assim como da igreja com Deus. O relacionamento que não há vergonha de ser sincero, em dizer que não fui agradada e que gostaria de mais cafuné, que preciso de mais atenção, que sonho com mais coisas.

Sou muito feliz por ter casado, mesmo naqueles momentos de raiva em que me perguntei: Por que sai do conforto da casa daminha mãe? Sou feliz por ser casada mesmo quando minhas experiências culinárias não dão certo, mesmo quando fico horas sozinha em casa a espera dele. Mesmo quando não sobra tempo para mim na sua agenda tão lotada. Sou muito feliz!

Neste post especial, em comemoração a uma data tão especial só posso agradecer ao Deus que colocou o Herbert no meu caminho, meu companheiro, amigo, namorado, pai, irmão,o meu marido, meu esposo. Aquele com quem quero ter filhos com as sobrancelhas dele,as mãos dele... Aquele com quem quero dividir e investir o meu tempo. Aquele com quem desejo estar até a volta de Jesus.

Te amo meu amor, obrigada por este um ano maravilhoso!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Vida de Madame


Pra quem já vivenciou uma vida cômoda ou uma situação cômoda sabe: Se acostumar com o bom é muito rápido e fácil.
Se você sempre tem carona pra voltar do culto, se acostuma rapidinho e quando tem que voltar de ônibus é um tormento. Ou então quando alguém sempre te lava a louça, opa! Benção! Aí quando a pessoa não pode mais te favorecer... Horrível.
Bom, eu e meu marido voltamos ao Hotel que passamos nossa Lua de Mel. Não tem como não se sentir uma madame, toda manhã um café que mais parece um almoço, que vai desde omelete até pudim de leite condesado, passando pelos sucrilhos, bolos, pães e salgados. Uma delícia! Para fazer a digestão de toda a comilança, só passeando! Voltando do passeio ao quarto do Hotel, a cama está perfeitamente arrumada, toalhas trocadas e o banheiro limpo impecavelmente. O almoço, a janta? Tudo em restaurante, ou seja, sem esquentar a barriga no fogão e nem louças para lavar.
Se estiver muito cansada de passear é possível ir na piscina térmica e nadar tanto até as batatas da perna ( no caso das minhas, batatonas) latejarem e então... é possível ir a banheira e relaxar com aquele montão de espuma.
Fala sério! Não é de se acostumar com esta vida boa?
Na volta para o mundo real, quem sofre é a máquina de lavar roupa com todas aquelas roupas usadas em dias de viagem. Mas, pensando bem, quem sofre mesmo sou eu, que me acostumei a ser madame por 3 dias. Agora voltei a ser apenas uma dona de casa. Feliz, por poder ter dias de madame proporcionado por Deus e pelo Herbert.

terça-feira, 25 de maio de 2010

E a miopia, como vai?


Sou míope, desde criança, me lembro claramente do dia em que fui ao oftalmologista e que foi constatado este meu probleminha herdado geneticamente do meu pai.
Minha mãe foi comigo ao oftalmologista, e claro, como qualquer criança de uns 9 anos, fiquei enfurecida em precisar usar óculos e ao imaginar meus amiguinhos da escola me chamando de quatro-olhos. Crianças são cruéis.
Então disse para minha mãe que estava enxergando bem, que era história do médico e que eu não precisaria usar o temido óculos. Até que ela fez um teste comigo, e é bem capaz de que se você conhece minha família de perto, já ter ouvido esta história. Saindo mesmo do consultório, eu nervosa, minha mãe fala " Se você está enxergando realmente bem, o que está escrito ali naquela placa?" e eu "Que placa?". Pronto, uso óculos desde então.
Mas enfim, no último semestre andei visitando alguns oftalmologistas, porque senti que aumentou o meu grau de miopia. Neste dia eu e minha mãe fomos, animadas e encorajadas a mudar o grau e comprar novas armações, afinal queríamos renovar o nosso rosto, com um lindo óculos novo! Até que depois do primeiro exame, saímos do consultório e depois comparando o nosso antigo grau, com o que o Doutor acabara de passar , havia diminuído. No caso do problema da minha mãe, presbiopia, isso é impossível. Bom, desconfiando da informação, marcamos um segundo oftalmologista, que desta vez, minha mãe confiou, porém eu, estranhei porque estava muito diferente do primeiro e me indaguei, como poderia tanta diferença em menos de um mês. Aí resolvi ir no oftalmologista que havia passado a receita antiga, que achei confiável da outra vez, agora recebi outro grau, mas agora mais confiável.
O fato cômico é que, neste dia minha mãe me acompanhou até o oftalmologista, e ele obviamente já sabia que eu não enxergaria, sem nenhuma lente, a letra que ele estava colocando no painel luminoso. Mas ele fez questão, e colocou aquele "E" enorme e perguntou, "você enxerga que letra que é essa?" e eu "não!" Ahã, não enxerguei nada, se não, um clarão luminoso e uma mancha turva da cor preta. Minha mãe ficou chocada e simplesmente na hora não acreditou, "como assim você não enxerga? Tá mais cega do que eu imaginava!"
Pior foi ela narrando a situação pro meu marido. "Mas Herbert, era um "E" enorme, do tamanho da minha cabeça, e ela não enxergou!!!" Agora pensem na entonação dela falando, e no gesto mostrando o tamanho da cabeça dela.
Sim, sou míope e o grau aumenta sempre, horrível isso, mas é a realidade.
Me falaram que depois dos 20 anos para de aumentar, é o que eu espero... Mas até agora, os 25 anos, continua aumentando.
Mãe, uma historinha sua, pra homenagear o seu mês, de aniversário e dia das mães, obrigada por ser minha mãezona e amiga. Te amo!

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Penteados


Chiquetosa!
Quando há uma festa pra se ir, de longo e tudo mais, a muherada corre atrás de penteado e maquiagem. Bom, num último casamento que fui quando ainda era solteira, minha mãe fez uma trança embutida, toda estilizada e tudo mais, parecia saída do salão de beleza.
Mas no último sábado foi formatura da minha amiga, e como não moro mais com minha mãe, corri procurar no you tube, formas de fazer um penteado sozinha, todos muito simples é claro, porém sem poder ver a parte de trás da cabeça, é mais difícil, sério? haha
Enfim, pedi para o maridão, com todo o jeitinho feminino, se haveria possibilidade de ele desperdiçar alguns minutos pra me ajudar. "Claro que sim!" Lá fui eu, empolgadérrima caçar grampos de cabelo daqueles simples. Enfim achei alguns que ainda tinham restado do meu casamento.
Primeiro arrumei minha franja, e amarrei o cabelo, tudo com muita elegância e muito mousse, afinal meu cabelo estilo oriental é super liso.
Depois passei as orientações para ele: "Pega mechas e faz rolinhos do tamanho de uns dois dedos e prende bem, não tenha medo de machucar a cabeça, porque no salão a gente sempre sai com a cabeça dolorida." E lá foi ele, gominhos a gominhos arrumando tudo. Aí ele disse: " Não sei se está bem do jeito que você queria!". Lembrei que a gente nunca sai do salão bem como a gente quer, nem no casamento meu cabelo ficou como eu queria...
Mas tá aí na foto o resultado, ficou maravilhoso! Mesmo com muitos elogios o Herbert disse que não quer abrir um salão, prefere continuar no ramo de motos mesmo hehehe
Olha, um marido que topa as nossas loucuras vale até por cabelereiro!
Obrigada amor, te amo!

terça-feira, 11 de maio de 2010

Feijão, hummm...

Me diga agora que um feijãozinho não vai bem? Hum é uma delícia com umas linguicinhas e um arroz branquinho. É MARA.


Enfim falando do feijão esta semana lá na igreja me lembrei da primeira vez que fui fazer feijão aqui em casa. Comprei uma feijão branco ( que na real de branco não tem nada, ele é marrom) e conforme as dicas de minha mãe, escolhi e depois lavei e então pra panela, depois que chiar espera uns 30 minutos. Animada pedi pro meu marido ir num mercadinho aqui perto comprar um Paio. Depois de passados os 30 minutos abro a panela e a linguiça não veio, porque na banquinha só tinha calabreza. Na época achava que só Paio era linguiça do feijão, hoje eu sei que no feijão pode ir quase tudo hehehe.

Delícia, feijão temperado só com cebola e alho mesmo, mesmo que segundo minha mãe diz não é o certo, mas é asssim que eu gosto. E coloquei no meu pratinho em cima do arroz, é tipo um ritual sabe? Coloco o arroz no meio do prato e o feijão bem em cima! Tudo misturadinho.

Quando eu fui comer... Claro! Apareceu umas coisinhas branquinhas tipo uma minhoquinha, fiquei desesperada, e o meu marido perguntou "você escolheu bem?". Na real eu sabia que tinha escolhido tudo certo, então optei por ligar pra minha mestra, minha mãe e ela disse que eram os brotinhos do feijão. Comprei uma marca meio ruim, só pode.

Mas comemos o feijão, estava bom, com bichinhos ou brotinhos hehehe estava bom. Agora meu feijão é mais gostoso tanto que o Herbert que nem era muito fã de feijão come um monte.

As experiências culinárias sempre rendem histórias.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

E o bolo de aniversário?

No último dia 30 foi aniversário do meu amável marido. Claro que como uma ótima esposa e também vinda de uma família que não deixa um aniversário passar em branco resolvi fazer um bolinho e uns quitutes a mais pra alimentar a nossa família. Que viriam aqui em casa no domingo seguinte.
Enfim, como já narrado aqui uma outra vez, eu não tenho muito talento com meu forno, e nem com bolos em geral. A maioria deles ficam da altura do dedinho mindinho e parecendo um quindin. Mas então, para casos de emergência a gente tem mesmo é que chamar a fiel escudeira: minha mãe! Como ela ama muito o seu genro e e a filha também, porque com certeza não queria que ela passasse vergonha com os convidados (sendo que minha mãe, é boleira de mão cheia! Pra quem já provou um floresta negra dela, sabe o que eu estou falando). Veio mamãe animada a me ajudar e perguntou: "Tem todos os ingredientes aí?" e eu "Claro mãe! Pode vir!" Eis que chega ela armada e preparada pra me ajudar já agilizando "Liga o forno pra pré-aquecer". Ok. "Cadê a batedeira, e ovos, óleo, Nescau e farinha de trigo?" Chuta, a farinha de trigo que eu tinha não dava nem uma xícara, como um bom 1° de maio os trabalhadores de folga e os mercadinhos da região FECHADOS. Vixi! A chapa começou a esquentar hehehe.
Então fomos ao mercado da região, pensem na enorme fila e tudo mais que acarreta o único mercado da redondeza aberto. Depois de sinceras e básicas 2 horas entre a compra da farinha e a fila (detalhe: minha mãe chegou a discutir com o gerente por causa da enrolação da caixa). Chegamos em casa com o forno mais-que-aquecido e demos início a mistura dos ingredientes e untando forma e pronto colocamos no fogo médio.
Passado básicos 10 minutos o bolo virou um vulcão. Imaginem (porque na hora o desespero foi tanto que não deu pra fotografar) o bolo escorrendo pelas laterais da forma e vazando até o terceiro andar do forno. Conseguiram imaginar, agora imaginem a fumaceira e o cheiro que queimado que isto acarreta. Agora multiplica isto por três. Era fumaça, muita fumaça, fumaça ao extremo, era tanta fumaça que um vizinho que eu nem conheço veio na minha janela perguntar se estava tudo bem. E eu e a mãe como duas ladys dissemos enfaticamente "tudo ótimo, só vazou um pouquinho do bolo". Ai era muita fumaça que eu e minha mãe mal conseguíamos nos enxergar, mas a mãe perseverante disse "vamos deixar assim, mais uns 10 minutos e o bolo tá pronto, pelo menos a gente não perde a fornada" a fumaça só aumentou assim em uns 50%.
Mas tá. Depois de tanta emoção tiramos o bolo. Pasmem, líquido. Não assou! Minha mãe já indignada, em como isto poderia acontecer. Lembrei de uma amiga que disse quando for fazer outro bolo ora, que Deus ajudará. Oramos em meio as raspagens do carvão de bolo que ficaram fo fundo do forno e lavagem da grade e tudo mais. Faxina no forno. E como não desistimos nunca, fomos para a nova tentativa.
Agora tudo certo, o bolo ficou ótimo. Não lindo,mais ótimo. A foto tá aí pra comprovar!
E viva o Herbert!

terça-feira, 20 de abril de 2010

Sombras no meu caminho

A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?
As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, enquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus?
Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão. Fui com eles à casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava. Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face.
Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim.
Contudo o SENHOR mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida.
Direi a Deus, minha rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que ando lamentando por causa da opressão do inimigo?
Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus.
Salmos 42 (editado)
___________________________
Na Bíblia temos resposta para todas as coisas, e neste retiro das mulheres pude descubrir mais uma. A depressão. A gente nunca sabe o que pode nos levar a uma tristeza profunda, mas ninguém está livre disto.
Nossa palestrante nos trouxe exemplos de sua própria vida e da vida de Davi, homem segundo o coração de Deus, mas que também passou por momentos de dificuldades, onde um abismo chamava outro abismo, isto porque muitas vezes quando algo ruim acontece, não se dá satisfeito de vir sozinho, mas sim vem sempre uma coisa atrás da outra.
Porém não é eterno e podemos nos firmar em uma pessoa e colocar nossa esperança nEle. Deus! Aquele que conhece o profundo das nosas almas, nosso amigo de perto e que ouve cada clamor, sabe o porquê de cada lágrima e está presente bem perto de nós.
Passei por abismos, alguns pequenos, outros grandes de imensa solidão, mesmo tendo tantos por perto. Mas o Senhor me fez forte e me deixou chegar até aqui.
Esperar e crer que o melhor está por vir, que o choro dura uma noite, mas a alegria vem! É o que nos move. É o que me move.
Neste retiro muitas se emocionaram com as histórias de cada irmã presente.
Foi muito especial conhecer um pouco mais de cada uma e suas sombras no caminho e poder orar junto com elas pedindo a Deus em favor dos seus pedidos.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Uma história de nós dois

Existem algumas histórias que valem realmente ser contada a outro. Bom essa que vem por aí é uma dessas.

Sabe ? A gente fica doente e depois que casa não tem mais a mãe pra coordenar os horários dos remédios e nem pra dizer qual remédio que se deve tomar.

Eu tenho rinite. Aquela coceira no nariz, ardência nos olhos, o nariz tampado. H O R R Ì V E L. Sim, horrível. Enfim eu e meu marido temos este probleminha básico e num belo dia, eu estava atacada da renite, já tinha acabado com um rolo de papel higiênico e nada de parar de escorrer a naza... Enfim me ocorreu, será que temos sorine na nossa farmacinha. O Herbert como bo marido correu pra caixa onde guardamos os poucos remédios que temos e claro, não tinha! Mas ele teve a geniosa idéia.

Olha tem aqui um remédio que dá pra você pingar no nariz e tenho certeza que já vai passar. Quando ele tira o remédio da caixa e eu vejo, pasmem, era aquele colírio pra passar nos olhos, a lágrima artificial que vem em uma embalagem azul.

Pinga esse! E me deu o remédio, eu olhei bem e constatei que não era de pingar no nariz e sim nos olhos. Questionei ele com toda a minha audácia. Mas este remédio é colírio amor, não posso pingar no nariz! E ele todo enfático e com a maior certeza do mundo. Pode sim!!!!! Uma vez eu pinguei e um rapaz que trabalha comigo também, a fórmula é igual ao do sorine e faz o mesmo efeito. Ai ai ai! Pasmem parte II. Pinguei o troço no nariz. Melhorou sim!

Mas....

_______________________________

Quando não foi minha surpresa uns diazinhos depois o Herbert passou pela mesma crise de rinite alérgica e eu disse pra ele. Amor, pinga aquele colírio! E ele: Eu não! Não tão ruim assim... Sério fiquei de cara huahaua como assim ele não queria pingar e não era a melhor solução para os narizes escorrendais? Tem que pingar!

Ele pingou! Mas até hoje não tenho certeza se ele já havia pingado este negócio no nariz antes... e nem este colega dele do serviço. Fala sério!

O que uma mulher submissa faz pra acatar os pedidos do marido.



terça-feira, 30 de março de 2010

A fé


Hoje recebi um e-mail da Missão Portas Abertas e lá estava o versículo
"Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças; [...] mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados. "
Isaías 53.4-5
E juntei isso com um monte de coisas, hoje na reunião das senhoras mais uma vez ouvi que a Páscoa deveria ser comemorada muito mais pelos cristãos do que o Natal, isto porque se Jesus não tivesse morrido, nossos pecados não teriam sido perdoados. Verdade, pura verdade.
Sabe, Isaías foi um homem de fé. No tempo dele dizer que um cordeiro viria, morreria e ressucitaria era loucura, assim como hoje também seria. Mesmo com tanta modernidade ainda é difícil acreditar nesta possibilidade. Mas, aí está aquela palavra que faz toda a diferença, a fé.
Pra conhecer mais sobre a fé, basta ler Hebreus, lá tem tudo explicadinho tin tin por tin tin, pois nós sabemos pela fé que o Universo foi feito pela palavra de Deus (meu primeiro versículo decorado, quando ainda nem era crente mas ia na EBF). É ela, a fé, que nos move, tranforma as nossas vidas, que nos faz acreditar que a Bíblia é a Palavra de Deus, que nos faz entender que seremos salvos e que há sim um céu, onde estaremos com o nosso irmão Jesus e nosso Pai amado.
A Páscoa fez me refletir no que a fé significa e como uma pesssoa como eu que não conhecia nada de fé, de Jesus, de Deus chegou até aqui. Uma cristã temente e crente a Deus. Como diz lá em Hebreus, a fé a certeza daquilo que não vemos. Assim como o vento, não o vemos, mas sabemos que ele existe porque o sentimos.
O Espírito Santo, nosso consolador, deixado aqui para nos guiar é assim, um vento. Não o vemos, mas o sentimos, o ouvimos e por isso cremos.
Saber o quão bom Deus tem sido para comigo e meu marido, nossas famílias é saber que nada do que fiz, das mudanças sofridas em minha vida no momento em que decidi abrir meu coração e trocar tudo o que ocupava o lugar de Jesus e colocar só Ele lá, foi a melhor decisão que tomei em minha vida.
Já fazem 7 anos que sou cristã, e sim tudo valeu a pena, todas as lutas que passei e todas as vitórias que alcancei.
Jesus, a nossa páscoa. O presente não é chocolate, mas algo muito mais doce que isto: A vida eterna.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Fritando ovo


Na semana que passou eu fui a reunião das senhoras na igreja e aprendi uma dica incrível, que se você faz fritura e não conhece vai ser uma descoberta.
No meio da palavra lá veio ela, a dica. Quando for frita um ovo, salpicar um pouco de farinha de trigo no óleo que ele não espirra. E não precisa só ser no óleo do ovo, pode ser no de qualquer fritura.
Já pensou na solução de problemas que isso nos dá. Não a respingos no braço, nem na mão e nem no fogão. Que tudo! Testem e me contem!

sábado, 27 de março de 2010

É dia de faxina!

Sempre fui o tipo de pessoa que achava a desculpa: Estou sem tempo! meio furada, claro, como que alguém não pode administrar bem o seu tempo, e consegue entrar no msn, assistir tv, ou coisa do tipo. Incrível mas o velho ditado já diz, a língua é o chicote da bunda. Olha eu aí provando da falta de tempo.
Por incrível que pareça depois de muito tempo deitada na cama por causa das limitações da cirurgia, agora estou sem tempo. A vida anda corrida demais e como a gente já sabia ia ser assim nos último tempos, e é assim que tem sido.
Acordando as 6h pra chegar as 8h no trabalho, saindo do trabalho as 14h para as 15:20 começar a fisioterapia, acabando a fisio 16:20 descansando por aproximadamente 1 hora e depois correndo para a faculdade que começa as 19h e saindo de lá as 22h. Assim chegando ao lar as 23h15 e indo dormir lá pelas 24h. Sim, em dias asssim ainda como mulheres é necessário estar bonita, com sorriso no rosto e claro com a casa arrumada. Mas e o tempo? Lavar roupa as 23:30? E tirar pó depois da meia noite. Como acordar no próximo dia?
______________________________________________
A faxina então fica pro dia de descanso (teoricamente), o sábado. Além do inglês que tem tomado as manhãs a tarde não tem descanso, não tem nada. Claro que meu esposo teve uma amável atitude e dividimos as tarefas. Depois de tarefas delegadas, eu fui pra cozinha, sala e lavanderia e ele pro banheiro. Claro que hoje existe uma pá de produtos químicos amigos da dona de casa, e aí vai uma diquinha, pra você que não tem o nariz sensível (rinite) use e abuse do VARSOL, é maravilhoso para tirar gordura encralacada da semana, e não precisa nem fazer força. Vale a pena comprá-lo por uns R$ 11, ainda mais pra quem não tem tempo nem braço pra tanto esfrega-esfrega. Pro banheiro use Veja x-14 com cloro, é tudo! Mas claro, neste caso não dá pra se livrar da musculação para os braços, o que vale é pensar positivo. Músculo do tchau durinho! O bom mesmo da faxina é depois que a casa tá com aquele cheirinho gostoso e bem branquinha. O piso sem nenhuma marca de calçado no chão, sem nenhum poeira nos móveis. Ufa! Maravilha é ter uma casa linda cheia de coisas pra limpar. Presentão nosso que dá trabalho, mas é uma realização.
Então gentem, você deve estar pensando no domingo, o dia de folga. Mas o domingo é do Senhor! E você poderá me ver cuidando das minhas crianças que eu amo! E não as deixo por nada.
Qualquer dia destes escrevo sobre elas!

sábado, 20 de março de 2010

O poder do blush


Você conhece o poder do blush? Pois é, eu conheço!!!
Desde antes de eu casar, ou melhor bem antes eu resolvi aprender a me maquiar, e o esquema foi muito parecido com a técnica que a minha mãe fez pra eu aprender a pintar as unhas. Ela comprou uns 3 esmaltes, um vidro de acetona, palito de laranjeira e algodão. "Pronto filha vai tentando até você conseguir!" Não vou dizer que sou expert e nem que sou manicure, mas me viro com as minhas unhas, e já recebi muitos elogios.
Bom, mas voltando a maquiagem. Comprei kit de sombra, lápis de olho, pó, base e claro o blush. Vendo um programa com uma modelo famosa, fiquei prestando atenção em todas as dicas. Bom, o blush... ah o blush. Deve ser passado assim você faz um biquinho com a sua boca vai formar uma parte ressaltada na bochecha, do osso mesmo. Então é bem ali que vc passa o blush. Mas cuidado com as cores porque senão você pode ficar parecendo uma palhacinha.
Fiz testes e aprendi a usá-lo. Incrível o poder do blush.
O meu marido na época ainda namorado sempre me elogiava quando ia a igreja maquiada, mas só nos dias em que passava o blush. Incrível isso! Ele pode mesmo dar aquela sensação de saudável que talvez você já tenha nos dias mais cansativos.
Ah, técnicas de passar blush existem várias, pra cada formato de rosto, para o meu que é formato bolacha trakinas e desse jeitinho que eu tentei explicar. E claro foi também o blush que no dia do caamento fez meu rosto ficar mais fininho. Não muito!
O poder do blush. Use e com certeza receberá elogios.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...