quinta-feira, 24 de junho de 2010

O nosso dia 20/06




Sim, já comemoramos o nosso aniversário de 1 aninho. Somos bebês ainda!


E não, ainda não queremos nenhum pimpolho pela casa, vai demorar... Ao que tudo indica, vai demorar mais uns 4 anos. Não pense que não gostamos de criança, mas no momento estamos meio que aproveitando, e muito, nossa vida de casadinho de novo (como diz o Pastor).


A comemoração foi incrível. Conforme havíamos combinado com antecedência, o dia 12/06 é regado de presentes, o dia 20/06 vamos ao restaurante e curtimos o romantismo.


Enfim então, nós dois decidimos ir almoçar e não jantar. Uma porque era domingo, outra tinha o jogo do Brasil.


Então... de manhã bem cedinho ouço o interfone, bem de longe, porque o sono reinava sobre a minha pessoa. Dormi de novo e nem tchun, mas notei que o Herbert não estava ao meu lado. Ah! Quando levanto e tchã-nan! Cesta de café da manhã, nunca tinha ganhado uma destas, linda maravilhosa! Hoje só restaram algumas bolacinhas e a cesta, que é linda!


Depois de tomar um cefézinho delícia, fomos pra igreja, lá, como de costume o parabéns foi cantado e podemos receber bençãos e mil abraços dos irmãos. Afinal é um aninho né?


Ah! Com antecedência eu havia planejado com ajuda do google maps a localização de um restaurante perto do Largo da Ordem, pra que pudéssemos visitar a feirinha também. E acabando o culto nos dirigiámos ao centro, animados e super brasileiros!


Chegamos lá animadíssimos, que nem pinto no lixo! Pra ressaltar esqueci o mapa! E claro, como perdida que sou, troquei Trajano Reis, com Jaime Reis hehehe, erramos algumas quadras, mas, como graças a Deus existe celular, fizemos contatos com pessoas bem informadas e que estavam com o mapa em punho e voltamos a rota original. Encontramos o resturante.


Restaurante chiquetoso, cheio de taças e mil talheres hehehe Perfeito para um momento perfeito também! Olhamos o cardápio e devido aos valores, tivemos que perguntar pro garçom: " Este prato é pra dois?" "Não pra um só!" Ih! Que bom que no aniversário de casamento podemos gastar bastante né?


Comemos um delicioso almoço e mais deliciosa ainda era a sobremesa, que eu amo! Petit Gateau, de doce de leite. Este eu indico para vocês ainda mais se são fãs de frutas vermelhas como eu, porque o bolinho e o sorvete vem regado com um calda de frutas vermelhas simplesmente M A R A. Sai lá só a sobremesa R$ 20 por pessoa, mas vale! Restaurante Madero.


Depois de tudo saímos do restaurante e optamos por correr para a igreja assistir ao jogo. Correr mesmo! Mesmo que não adiantou muito, chegamos 10 minutos atrasados. hehehe


Mas claro, tudo acabou bem! Brasil ganhou, nós felizes, e um ano do nosso casamento já passou...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Bodas de Papel

Chegamos!

Após todos os 5 anos que namoramos, chegamos agora a comemoração mais significativa de tudo o que vivemos. Nossas Bodas de Papel. Será que nesta boda ganhamos um anel de papel? Assim como nas bodas de prata troca-se a antiga aliança por outra com um filetinho de prata? Ou será que como minha amiga disse:"Se dêem algo de papel, não vale cartinha!"

Presentes a parte, o maior presente que vivenciamos neste ano foi aprender a conviver um com o outro. Com as nossas diferenças, com as nossas falhas e dificuldades em determinadas áreas, com os dias de alegria contagiante ou de tristeza profunda.

Aprender a conviver em harmonia, este sim é o melhor presente. O presente que recebo todos os dias do Senhor, quando que em muitas vezes tenho que clamar à Ele para não falar demais e nem gritar com meu esposo. O presente que peço à Ele é que, o que tenha realmente valor no meu lar, sejam as coisas que tem valor para o coração dEle que nos criou e nos uniu.

É muito bom ser casada! Melhor ainda é ter passado por 1 ano deste relacionameto tão íntimo, assim como da igreja com Deus. O relacionamento que não há vergonha de ser sincero, em dizer que não fui agradada e que gostaria de mais cafuné, que preciso de mais atenção, que sonho com mais coisas.

Sou muito feliz por ter casado, mesmo naqueles momentos de raiva em que me perguntei: Por que sai do conforto da casa daminha mãe? Sou feliz por ser casada mesmo quando minhas experiências culinárias não dão certo, mesmo quando fico horas sozinha em casa a espera dele. Mesmo quando não sobra tempo para mim na sua agenda tão lotada. Sou muito feliz!

Neste post especial, em comemoração a uma data tão especial só posso agradecer ao Deus que colocou o Herbert no meu caminho, meu companheiro, amigo, namorado, pai, irmão,o meu marido, meu esposo. Aquele com quem quero ter filhos com as sobrancelhas dele,as mãos dele... Aquele com quem quero dividir e investir o meu tempo. Aquele com quem desejo estar até a volta de Jesus.

Te amo meu amor, obrigada por este um ano maravilhoso!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Vida de Madame


Pra quem já vivenciou uma vida cômoda ou uma situação cômoda sabe: Se acostumar com o bom é muito rápido e fácil.
Se você sempre tem carona pra voltar do culto, se acostuma rapidinho e quando tem que voltar de ônibus é um tormento. Ou então quando alguém sempre te lava a louça, opa! Benção! Aí quando a pessoa não pode mais te favorecer... Horrível.
Bom, eu e meu marido voltamos ao Hotel que passamos nossa Lua de Mel. Não tem como não se sentir uma madame, toda manhã um café que mais parece um almoço, que vai desde omelete até pudim de leite condesado, passando pelos sucrilhos, bolos, pães e salgados. Uma delícia! Para fazer a digestão de toda a comilança, só passeando! Voltando do passeio ao quarto do Hotel, a cama está perfeitamente arrumada, toalhas trocadas e o banheiro limpo impecavelmente. O almoço, a janta? Tudo em restaurante, ou seja, sem esquentar a barriga no fogão e nem louças para lavar.
Se estiver muito cansada de passear é possível ir na piscina térmica e nadar tanto até as batatas da perna ( no caso das minhas, batatonas) latejarem e então... é possível ir a banheira e relaxar com aquele montão de espuma.
Fala sério! Não é de se acostumar com esta vida boa?
Na volta para o mundo real, quem sofre é a máquina de lavar roupa com todas aquelas roupas usadas em dias de viagem. Mas, pensando bem, quem sofre mesmo sou eu, que me acostumei a ser madame por 3 dias. Agora voltei a ser apenas uma dona de casa. Feliz, por poder ter dias de madame proporcionado por Deus e pelo Herbert.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...